Publicidade

10 questões de Língua Portuguesa da Banca VUNESP | Nível Médio

10 questões de Língua Portuguesa da Banca VUNESP. Questões sugeridas para candidatos de concursos públicos com edital elaborado pela banca.

10 questões de Língua Portuguesa da Banca VUNESP



Questões de Língua Portuguesa (VUNESP/SEE-SP/2019) 

Leia a tira para responder às questões de números 11 a 13.

11. (VUNESP/SEE-SP/2019) É correto concluir, da leitura da tira, que a resposta do pai a respeito do computador
(A) contraria o garoto, que via no computador a esperança de ter menos trabalho na elaboração de suas atividades escolares.
(B) aborrece o garoto, que continua acreditando que o computador é fundamental para melhorar seu rendimento escolar.
(C) satisfaz o garoto, que se convence de que o computador poderá auxiliá-lo melhor ainda do que ele inicialmente imaginara.
(D) atenua as preocupações do garoto, que se convence de que o computador facilita a elaboração dos trabalhos escolares.
(E) confunde o garoto, que passa a interrogar-se sobre a verdadeira razão para o pai omitir-se de comprar-lhe o aparelho.


12. (VUNESP/SEE-SP/2019) A frase do primeiro quadrinho “Se eu tivesse um computador, com certeza ia tirar notas melhores…” está corretamente reescrita, sem alteração do sentido do texto original e de acordo com a norma padrão da língua, em:
(A) Assim que eu tivesse um computador, com certeza tiro notas melhores…
(B) Caso eu tivesse um computador, com certeza tiraria notas melhores…
(C) Conforme eu tivesse um computador, com certeza tirarei notas melhores…
(D) Uma vez que eu tivesse um computador, com certeza tirarei notas melhores…
(E) A fim de que eu tivesse um computador, com certeza tirava notas melhores…

13. (VUNESP/SEE-SP/2019) Assinale a alternativa cujo termo em destaque intensifica o sentido da informação a que se refere.
(A) tudo no computador.
(B) um computador.
(C) do mesmo jeito.
(D) tanto barulho.
(E) depois digitar.

Leia o texto para responder às questões de números 14 a 20.

Irmãos em livros

Outro dia, num táxi, o motorista me disse que “gostava
de ler” e comprava “muitos livros”.
Dei-lhe parabéns e perguntei qual era sua livraria favorita.
Respondeu que “gostava de todas”, mas, de há alguns anos,
só comprava livros pela internet. Ah, sim?
Comentei que também gostava de todos
os táxis, mas, a partir dali, passaria a usar apenas o serviço
de aplicativos. Ele diminuiu a marcha, como se processasse
a informação. Virou-se para mim e disse: “Entendi. O senhor
tem razão”.

Tenho amigos que não leem e não frequentam livrarias.
Não são pessoas primitivas ou despreparadas – apenas não
têm a bênção de conviver com as palavras. Posso muito bem
entendê-las porque também não tenho o menor interesse por
automóveis, pela alta cozinha ou pelo mundo digital – nunca
dirigi um carro, acho que qualquer prato melhora com um
ovo frito por cima e, quando me mostram alguma coisa num
smartphone, vou de dedão sem querer e mando a imagem
para o espaço. Nada disso me faz falta, assim como o livro e
a livraria a eles.

No entanto, quando entro numa livraria, pergunto-me que
outro lugar pode ser tão fascinante. São milhares de livros
à vista, cada qual com um título, um design, uma personalidade.
São romances, biografias, ensaios, poesia, livros de
história, de fotos, de autoajuda, infantis, o que você quiser.
O que se despendeu de esforço intelectual para produzi-los
e em tal variedade é impossível de quantificar. Cada livro,
bom ou mau, medíocre ou brilhante, exigiu o melhor que cada
autor conseguiu dar.

Uma livraria é um lugar de congraçamento*. Todos ali
somos irmãos na busca de algum tipo de conhecimento. E,
como este é infinito, não nos faltarão irmãos para congraçar.
Aliás, quanto mais se aprende, mais se vai às livrarias.

Lá dentro, ninguém nos obriga a comprar um livro. Mas
os livros parecem saber quem somos e, inevitavelmente, um
deles salta da pilha para as nossas mãos.

(Ruy Castro, Folha de S.Paulo, 07.12.2018. Adaptado)

* Congraçamento: ato ou efeito de congraçar(-se); conciliação, reconciliação.

14. (VUNESP/SEE-SP/2019) Conforme o autor do texto,
(A) a disseminação da prática de comprar livros pela internet tem contribuído decisivamente para promover o desinteresse pela leitura.
(B) a leitura realizada em outros ambientes que não seja o de uma livraria acaba resultando numa compreensão medíocre do conteúdo da obra.
(C) o hábito da leitura é incompatível com o interesse por automóveis, pela alta culinária e, especialmente, pelas novas tecnologias digitais.
(D) a dispersão por assuntos muito variados, apesar de exigir grande esforço intelectual do escritor, não raro acaba resultando numa obra medíocre.
(E) a quantidade e a diversidade de esforço intelectual empreendido nos livros produzem uma atmosfera de atração no ambiente das livrarias.


15. (VUNESP/SEE-SP/2019) Os termos em destaque nas frases – “Ele diminuiu a marcha, como se processasse a informação.” / “Não são pessoas primitivas ou despreparadas…” – apresentam sinônimos adequados ao contexto em:
(A) complicasse; rudes.
(B) percebesse; insolentes.
(C) verificasse; antiquadas.
(D) refutasse; incultas.
(E) recebesse; incomuns.

16. (VUNESP/SEE-SP/2019) A expressão em destaque no trecho “Nada disso me faz falta, assim como o livro e a livraria a eles.” estabelece relação entre as orações com sentido de
(A) condição.
(B) causa.
(C) proporção.
(D) finalidade.
(E) comparação.

17. (VUNESP/SEE-SP/2019) Considere os termos destacados nas frases a seguir:
•  … pergunto-me que outro lugar pode ser tão fascinante
•  … e em tal variedade é impossível de quantificar.
•  Uma livraria é um lugar de congraçamento.
A exemplo de “fascinante” grafado com “SC”, de “impossível”, grafado com “SS” e de  congraçamento”, com “Ç”, estão corretamente escritos, em conformidade com a ortografia oficial, os termos:

(A) imprescindível; escassez; maciçamente.
(B) transcendente; sussetível; empoçamento.
(C) inconscistente; dissimulável; descompaçadamente.
(D) desconscertante; permissível; endereçamento.
(E) vascilante; insenssatez; espaçamento.

18. (VUNESP/SEE-SP/2019) Assinale a alternativa em que há emprego de palavra ou expressão em sentido figurado.
(A) Nada disso me faz falta, assim como o livro e a livraria a eles.
(B) Tenho amigos que não leem e não frequentam livrarias.
(C) … inevitavelmente, um deles salta da pilha para as nossas mãos.
(D) Dei-lhe parabéns e perguntei qual era sua livraria favorita.
(E) Comentei que também gostava de todos os táxis…

19. (VUNESP/SEE-SP/2019) Considere o sentido contrário expresso pelos seguintes pares de palavras:
•  Cada livro, bom ou mau, medíocre ou brilhante, exigiu o melhor…
Essa mesma relação de sentido pode ser verificada no par de palavras:
(A) fascinante / inconsistente.
(B) inevitavelmente / conveniente.
(C) melhor / inapropriado.
(D) despreparadas / instruídas.
(E) favorita / mensurável.

20. (VUNESP/SEE-SP/2019) Considere as frases do texto:
•  Tenho amigos que não leem e não frequentam livrarias.
•  Lá dentro, ninguém nos obriga a comprar um livro.
Assinale a alternativa em que os pronomes que substituem as expressões destacadas estão empregados em conformidade com a norma-padrão da língua.
(A) não lhes frequentam / comprá-lo.
(B) não as frequentam / comprá-lo.
(C) não as frequentam / comprar-lhe.
(D) não lhes frequentam / comprar ele.
(E) não frequentam elas / comprar-lhe.

Gabarito das questões de Língua Portuguesa elaboradas pela VUNESP


11 - A 12 - B 13 - D 14 - E 15 - C 16 - E 17 - A 18 - C 19 - D 20 - B



Principais tópicos relacionados com as questões de Língua Portuguesa elaborada pela banca VUNESP

*Sugestão de concurso Concurso Público da Prefeitura Municipal da Estância Balneária de Peruíbe, no Estado de São Paulo.



Por Blog Caderno de Educação


Compartilhe Compartilhe Compartilhe Compartilhe .
Compartilhe em suas Redes Sociais!


Sobre:
O Blog Caderno de Educação visa compartilhar conteúdo e proporcionar a troca de material e experiências com os usuários. Todas as matérias públicadas são opinativas, informativas ou sugestivas e não devem ser utilizadas em substituição a informação especializada de um profissional habilitado.

Recomendados para Você:

0 comentários:

Postar um comentário

.
Tecnologia do Blogger.

 

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

voltar