Publicidade

Decreto 10.287/2020 Promulga o Acordo sobre Reconhecimento Regional da Qualidade Acadêmica dos Respectivos Diplomas no Mercosul e Estados Associados


 
O Decreto 10.287/2020 Promulga o Acordo sobre a Criação e a Implementação de um Sistema de Credenciamento de Cursos de Graduação para o Reconhecimento Regional da Qualidade Acadêmica dos Respectivos Diplomas no Mercosul e Estados Associados, firmado em San Miguel de Tucumán, em 30 de junho de 2008.

 De acordo com o Art. 1º  Fica promulgado o Acordo sobre a Criação e a Implementação de um Sistema de Credenciamento de Cursos de Graduação para o Reconhecimento Regional da Qualidade Acadêmica dos Respectivos Diplomas no Mercosul e Estados Associados firmado em San Miguel de Tucumán, em 30 de junho de 2008, por meio da Decisão CMC nº 17/08, no âmbito da XXXV Reunião do Conselho do Mercado Comum, anexo a este Decreto.

O Decreto 10.287/2020 também ressalta que no Art. 2º  que são sujeitos à aprovação do Congresso Nacional atos que possam resultar em revisão do Acordo, e ajustes complementares que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional, nos termos do inciso I do caput do art. 49 da Constituição.
Decreto 10.287/2020 Promulga o Acordo sobre Reconhecimento Regional da Qualidade Acadêmica dos Respectivos Diplomas no Mercosul e Estados Associados

ACORDO SOBRE A CRIAÇÃO E A IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE CREDENCIAMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO PARA


O RECONHECIMENTO REGIONAL DA QUALIDADE ACADÊMICA DOS RESPECTIVOS DIPLOMAS NO MERCOSUL E ESTADOS ASSOCIADOS.

A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai e a República Oriental do Uruguai, em sua qualidade de Estados Partes do Mercosul, e a República da Bolívia e a República do Chile são partes no presente Acordo.

Considerando:

Que a XXX Reunião de Ministros da Educação, realizada em 2 de junho de 2006, em Buenos Aires ”encomendou à Comissão Regional Coordenadora da Educação Superior (CRC-ES) a apresentação, na próxima Reunião de Ministros da Educação, de um plano que permita a adoção de um mecanismo de credenciamento definitivo de cursos de graduação do Mercosul, com base nas experiências do Mecanismo Experimental de Credenciamento, MEXA”;

Que a XXXI Reunião de Ministros da Educação, realizada em 24 de novembro de 2006, em Belo Horizonte, Brasil, avaliou o Mecanismo Experimental de Credenciamento, MEXA, aplicado em cursos de Agronomia, Engenharia e Medicina, considerando apropriada a experiência realizada pelo Setor Educacional do Mercosul, pois um processo de credenciamento da qualidade da formação superior será um elemento para a melhora substancial da qualidade da Educação Superior e o consequente avanço no processo de integração regional;

Que um sistema de credenciamento da qualidade acadêmica dos cursos de graduação facilitará a movimentação de pessoas entre os países da região e servirá como apoio para mecanismos regionais de reconhecimento de títulos ou diplomas universitários;

Que sua pertinência e relevância permitirão garantir o conhecimento recíproco, a movimentação e a cooperação solidária entre as respectivas comunidades acadêmico-profissionais dos países, elaborando critérios comuns de qualidade no âmbito do Mercosul, para favorecer os processos de formação em termos de qualidade acadêmica e, ao mesmo tempo, o desenvolvimento da cultura da avaliação como fator propulsor da qualidade da Educação Superior na região;

Que permitirá a execução coordenada e solidária de um programa de integração regional, usando e fortalecendo competências técnicas nas Agências Nacionais de avaliação da qualidade e nos diversos âmbitos dos sistemas de Educação Superior dos Estados Partes do Mercosul e Associados.

Que este sistema se destaca como uma política de Estado necessária a ser adotada pelos Estados Partes do Mercosul e os Estados Associados, com vistas à melhora permanente na formação de Recursos Humanos, com critérios de qualidade requeridos para a promoção do desenvolvimento econômico, social, político e cultural dos países da região.

Acordam:

Adotar o presente “ACORDO”, sustentado pelos seguintes fundamentos:

I.  PRINCÍPIOS GERAIS

1.O credenciamento é resultado do processo de avaliação por meio do qual é certificada a qualidade acadêmica dos cursos de graduação estabelecendo que satisfazem o perfil do graduado e os critérios de qualidade previamente aprovados no âmbito regional para cada diploma.

2.O Sistema de Credenciamento Regional de Cursos de Graduação do(s) Estado(s) Partes do Mercosul e Estados Associados, cuja denominação, doravante, é acordada como “Sistema ARCU-SUR”, será gerenciado no âmbito do Setor Educacional do Mercosul, respeitará as legislações de cada país e a autonomia das instituições universitárias. O sistema considerará aqueles cursos de graduação que tenham reconhecimento oficial e com graduados.

3.O Sistema ARCU-SUR atingirá os diplomas determinados pelos Ministros da Educação dos Estados Partes do Mercosul e dos Estados Associados, em consulta com a Rede de Agências Nacionais de Credenciamento (RANA) e os âmbitos pertinentes do Setor Educacional do Mercosul (SEM), considerando especialmente as que precisarem da graduação superior como condição para o exercício profissional.

4.O Sistema ARCU-SUR oferecerá garantia pública na região do nível acadêmico e científico dos cursos, que será estabelecido conforme critérios e perfis tanto ou mais exigentes que os aplicados pelos países em seus âmbitos nacionais análogos.

5.Este Sistema incorporará gradativamente cursos de graduação de acordo com os objetivos do sistema de credenciamento regional.

6.O credenciamento neste Sistema realizar-se-á de acordo com o perfil do graduado e os critérios regionais de qualidade, que serão elaborados por Comissões Consultivas por diploma, com a coordenação da Rede de Agências Nacionais de Credenciamento e aprovação pela Comissão Regional Coordenadora de Educação Superior, CRC ES.

7.As Comissões Consultoras por diploma serão propostas pela Rede de Agências Nacionais de Credenciamento e designadas pela Comissão Regional Coordenadora de Educação Superior, CRC-ES. A Rede de Agências Nacionais de Credenciamento será responsável por sua convocação e seu funcionamento.

8.O processo de credenciamento será contínuo, com convocações periódicas, coordenadas pela Rede de Agências Nacionais de Credenciamento, que estabelecerá as condições para a participação.

9.A participação das convocações será voluntária e poderão pedi-la unicamente instituições oficialmente reconhecidas no país de origem e habilitadas para outorgar os respectivos diplomas, de acordo com as normas jurídicas de cada país.

10.O processo de credenciamento abrange a consideração do perfil do graduado e dos critérios regionais de qualidade em uma autoavaliação, uma avaliação externa por comitês de pares e uma resolução de credenciamento de responsabilidade da Agência Nacional de Credenciamento.

11.O credenciamento terá vigor por um prazo de seis anos e será reconhecido pelos Estados Partes do Mercosul e os Associados que adiram este Acordo.

II.  ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA ARCU-SUR

1.Para os fins do presente Acordo são denominadas Agências Nacionais de Credenciamento as entidades específicas responsáveis pelos processos de avaliação e credenciamento da educação superior, designadas pelo Estado Parte ou Associado perante a Reunião de Ministros da Educação.

2.As Agências Nacionais de Credenciamento devem reunir os seguintes atributos:

a) Ser uma instituição de direito público reconhecida de conformidade com as disposições jurídicas e constitucionais em vigor em seu país de origem.

b) Ser conduzida por um órgão colegiado.

c) Oferecer garantia de sua autonomia e imparcialidade, estar constituída por membros e pessoal idôneos e contar com procedimentos adequados às boas práticas internacionais.

3.As Agências Nacionais de Credenciamento, órgãos executivos do Sistema ARCU-SUR, serão organizadas como uma Rede que criará suas próprias regras de funcionamento e adotará decisões por consenso.

III.  DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA O CREDENCIAMENTO

1. O pedido de credenciamento para um curso determinado será apresentado pela instituição universitária à qual pertence perante a Agência Nacional de Credenciamento, de acordo com os princípios gerais estabelecidos neste documento.

2.A avaliação para o credenciamento abrangerá a totalidade do curso (seus processos e resultados), considerando, para todos os diplomas, no mínimo, os seguintes aspectos: contexto institucional, projeto acadêmico, recursos humanos e infraestrutura.

3.O credenciamento precisará de um processo de autoavaliação participativo, de recopilação de informações, construção comunitária de julgamentos e conclusões a respeito da satisfação do perfil do graduado e dos critérios de qualidade. Tudo isso será apresentado em um relatório de autoavaliação, que servirá como base para a avaliação externa e seguirá procedimentos estabelecidos pela Rede de Agências Nacionais de Credenciamento.

4. No processo de credenciamento será preciso solicitar o parecer de um Comitê de Pares, que terá de se fundamentar no perfil do graduado e nos critérios de qualidade estabelecidos.

5. Os Comitês serão designados pela correspondente Agência Nacional de Credenciamento. O comitê de pares deve incluir, no mínimo, dois representantes de diferentes Estados Partes ou Associados ao Mercosul, diferentes do país ao qual pertence o curso de graduação. Deve ser constituído, no mínimo, por três pessoas, a partir de um banco único de peritos, administrado pela Rede de Agências Nacionais de Credenciamento.

6.Cada Agência Nacional de Credenciamento outorgará ou denegará o credenciamento com base nos documentos do perfil do graduado e dos critérios regionais de qualidade, no relatório de autoavaliação, no parecer do Comitê de Pares e o procedimento da própria Agência, podendo considerar os antecedentes de outros processos de credenciamento do curso avaliado. Com base nesses elementos, considerados em profundidade, a Agência terá de proferir um parecer, fundamentando explicitamente suas decisões.

7. A resolução que não outorgar o credenciamento a um curso de graduação não será apelável no âmbito regional.

8.A resolução que outorgar o credenciamento poderá ser contestada por manifesto descumprimento dos procedimentos ou na consideração do perfil do graduado, ou dos critérios de qualidade estabelecidos, por quem tiver interesse legítimo, correspondendo aos Ministros da Educação dos Estados Partes do Mercosul e dos Estados Associados participantes resolver a questão com base em parecer proferido por uma Comissão de Peritos convocada para esses efeitos.

9.A Reunião Conjunta da Rede de Agências Nacionais de Credenciamento e CRC-ES terá, no mínimo, duas reuniões ordinárias por ano e mais todas as que for necessário para o gerenciamento adequado do Sistema ARCU-SUR.

10.O credenciamento será registrado pela Rede de Agências Nacionais de Credenciamento e publicado pela CRC-ES. A informação e a publicidade das resoluções serão unicamente a respeito dos cursos de graduação credenciados.

11.Quando o credenciamento for outorgado, ele terá efeitos a partir do ano acadêmico no qual seja publicada a resolução pelo órgão pertinente do SEM. Esses efeitos, por regra geral, atingirão os diplomas obtidos a partir do credenciamento do curso de graduação.

12.As informações sobre os cursos de graduação credenciados estarão a cargo de um cadastro regional do Sistema ARCU-SUR, que emita atestado efetivo de sua vigência, seus alcances e graduados beneficiários.

13. O Sistema de Informações e Comunicações do Mercosul Educacional fornecerá informações sobre as Agências Nacionais de Credenciamento, os critérios de credenciamento e os cursos credenciados.

14. As convocações para o credenciamento dos Cursos de Graduação no Sistema pelas Agências Nacionais de Credenciamento terão de ser realizadas de forma periódica, não ultrapassando o prazo máximo de seis anos para cada diploma.

15. No Sistema, entender-se-á que o credenciamento outorgado anteriormente ao curso continua em vigor até uma nova resolução, sempre que a instituição tenha acudido à convocação correspondente. No caso de a instituição não se apresentar, a Rede de Agências Nacionais fará constar a caducidade no cadastro e no Sistema de Informação e de Comunicação do Mercosul.

16. A Rede de Agências Nacionais de Credenciamento será o âmbito responsável pela implementação, o acompanhamento e a avaliação do Sistema, encaminhando relatórios periódicos à CRC-ES com iniciativa de proposta para os ajustamentos ao mesmo.

17. O SEM arbitrará os recursos necessários para o funcionamento do Sistema, em aspectos como o financiamento dos processos de credenciamento regional, o relacionamento com outros programas afins, regionais e inter-regionais:

IV.  ALCANCES E EFEITOS DO CREDENCIAMENTO

1.Os Estados Partes do Mercosul e os Estados Associados, por meio de seus organismos competentes, reconhecem mutuamente a qualidade acadêmica dos títulos ou diplomas outorgados por Instituições Universitárias, cujos cursos de graduação tenham sido credenciados conforme este Sistema, durante o prazo de vigência da respectiva resolução de credenciamento.

2.O reconhecimento da qualidade acadêmica dos títulos ou diplomas de grau universitário que venha a ser outorgado em decorrência do que aqui é estabelecido, não outorga, em si, direito ao exercício da profissão nos demais países.

3.O credenciamento no Sistema ARCU-SUR será impulsionado pelos Estados Partes do Mercosul e os Estados Associados, como critério comum para facilitar o reconhecimento mútuo de títulos ou diplomas de grau universitário para o exercício profissional em convênios ou tratados ou acordos bilaterais, multilaterais, regionais ou sub-regionais que venham a ser celebrados a esse respeito.

4.O credenciamento dos cursos de graduação outorgado pelo Sistema ARCU-SUR será levado em conta pelos Estados Partes e os Associados, por meio de seus organismos competentes, como critério comum para coordenar com programas regionais de cooperação como vinculação, fomento, subsídio, movimentação, dentre outros, que beneficiem o conjunto dos sistemas de educação superior.

5.Os credenciamentos outorgados pelo ”Mecanismo Experimental de Avaliação e Credenciamento de Cursos de Graduação para o Reconhecimento de Diplomas de Nível Universitário nos países do Mercosul, da Bolívia e do Chile”, MEXA, reconfirmam sua plena validade para os efeitos do Sistema ARCU-SUR.

6.Os programas regionais de credenciamento que a Rede de Agências Nacionais de Credenciamento (RANA) venha a estabelecer levarão em consideração sua coordenação com o MEXA, reconhecendo os cursos de graduação credenciados no MEXA oportunidades de credenciamento contínuo por meio de próximas convocações.

V.  DISPOSIÇÕES GERAIS

1. As controvérsias que venham a surgir sobre a interpretação, a aplicação ou o descumprimento das disposições contidas no presente instrumento entre os Estados Partes do Mercosul serão resolvidas pelo sistema de solução de controvérsias vigente no Mercosul.

As controvérsias que venham a surgir da interpretação, da aplicação ou do descumprimento das disposições contidas no presente Acordo entre um ou mais Estados Partes do Mercosul e um ou mais Estados Associados serão resolvidas pelo mecanismo que estiver em vigor no momento que surgir a controvérsia e que tiver sido acordado entre as partes.

As controvérsias que venham a surgir da interpretação, da aplicação ou do descumprimento das disposições contidas no presente Acordo entre um ou mais Estados Associados serão resolvidas pelo mecanismo que estiver em vigor no momento que surgir a controvérsia e que tiver sido acordado entre as partes.

2.O presente Acordo entrará em vigor trinta (30) dias depois do depósito do instrumento de ratificação pelo quarto Estado Parte do Mercosul. Na mesma data entrará em vigor para os Estados Associados que o tenham ratificado anteriormente. Para os Estados Associados que não o tiverem ratificado antes dessa data, entrará em vigor no mesmo dia no qual seja depositado o respectivo instrumento de ratificação.

3.Os direitos e obrigações decorrentes do Acordo aplicam-se unicamente aos Estados que o ratificaram.

4.A República do Paraguai será depositária do presente Acordo e dos respectivos instrumentos de ratificação, devendo notificar às partes a data dos depósitos desses instrumentos e da entrada em vigor do Acordo, bem como encaminhar-lhes uma cópia devidamente autenticada do mesmo.

5.O presente documento substitui o que foi assinado na cidade de Buenos Aires aos catorze dias do mês de junho do ano de dois mil e dois, na ocasião da XXII Reunião de Ministros da Educação.

Feito na cidade de San Miguel de Tucumán, República Argentina, aos trinta dias do mês de junho do ano de dois mil e oito.

Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/decreto/D10287.htm

AVAMEC, ambiente virtual de aprendizagem do MEC - Ministério da Educação



A AVAMEC, ambiente virtual de aprendizagem do Ministério da Educação (MEC).

O que é a AVAMEC?

A AVAMEC é um sistema on-line que permite a concepção e a administração de cursos a distância. Desenvolvido pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC em parceria com o Laboratório de Tecnologia da Informação e Mídias Educacionais (LabTIME) da Universidade Federal de Goiás (UFG), a ferramenta faz parte do programa Educação Conectada, que tem como um dos objetivos fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica.

Quais são os cursos oferecidos pela AVAMEC?

A plataforma oferta cursos, como práticas de alfabetização, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), gestão escolar, movimentos básicos do esporte paraolímpico, tecnologia de informação e pensamento computacional. 

Quem pode usar a AVAMEC?

Segundo o site do MEC, além de estudantes e professores, os cursos podem ser realizados por pais, responsáveis e qualquer interessado nos temas. “A maior parte dos cursos é aberta, ou seja, a pessoa faz o cadastro e já tem acesso ao conteúdo automaticamente”, explicou.

AVAMEC, ambiente virtual de aprendizagem do MEC - Ministério da Educação


Ao todo, a plataforma tem 179 mil usuários registrados e 1.244 turmas de ensino a distância. Além da SEB, as secretarias de Alfabetização (Sealf) e de Educação Superior (Sesu) do MEC também ofertam cursos no ambiente virtual. Elas se juntam a outras 16 instituições com turmas na ferramenta, como a UFG, a Controladoria-Geral da União (CGU), a Secretaria de Educação do município de São Bernardo do Campo (SP) e a Secretaria de Estado da Educação de Goiás.

Os cursos da AVAMEC fornecem certificados?

Ao final do curso, se a pessoa cumprir todos os requisitos, ela tem direito a um documento declaratório de que cumpriu aquela carga horária. “Isso pode ser utilizado na rede de ensino para a progressão profissional e ajudar o estudante na carreira ou na universidade para comprovar que efetivamente realizou curso e atingiu as horas exigidas”, destacou o Coordenador

A AVAMEC disponibiliza um código de validação para poder reconhecer o documento depois. “Dessa forma, a rede de educação pode acessar a plataforma do MEC e, com esse código, validar a realização do curso e obter informações sobre carga horária. Com o código é possível ver quem fez o curso e qual a carga horária foi realizada. Serve para alunos comprovarem que terminaram o que foi proposto no início das aulas. 

A AVAMEC pode ser uma forma de utilizar a quarentena e confinamento da Pandemia Coronavírus Covid-19 em casa por conta das medidas de prevenção ao novo coronavírus pode abrir uma oportunidade de investimento na auto formação pelos cursos a distância, destaca o site.

Fonte: 
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=87011


Exercicios de geografia Continente Americano, com gabarito


Exercícios de geografia Continente Americano, com gabarito



1. Assinale a alternativa que não se refere ao Continente Americano

a) Linha do Equador, 
b) trópico de Câncer, 
c) Trópico de Capricórnio
d) Trópico de Sagitário

2) O Continente Americano é banhado

a) Oceano Atlântico a leste 
b) Oceano Pacífico a leste
c) Oceano Atlântico a oeste
d) Oceano Adriático a leste

.3) No Continente Americano destacam-se as baías e golfos, EXCETO
a) golfo do México que banha a região sul dos EUA; 
b) baía de Hudson, no Canadá 
c) baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.
d) baía de Sidney na Austrália

4) Ao longo do continente Americano há cadeias de montanhas. Assinale aquela que não corresponde ao Continente Americano

a) Rochosas na América do Norte; 
b) Sierra Madre Ocidental na América Central
c) Himalaia na Ásia
c) Cordilheira dos Andes na América do Sul. 

5. Existem, no continente Americano relevos. Assinale aquela que não corresponde ao Continente Americano
a) bacias hidrográficas do rio Mississipi (EUA)
b) rio Amazonas, no Brasil. 
c) o pico culminante da América localiza-se na Argentina, o ACONCAGUA
d) o famoso Lago Ness


6. No critério Físico ou geográfico, o Continente Americano é dividido em:
a)  América, América do Centro, América do Sul.
b)  América do Norte, América Central, América do Sul.
c)  América do Norte, América Central, América Tropical.
d)  América do Norte, América Regional, América do Sul.

7. As terras que os conquistadores europeus impuseram sua autoridade no Continente Americano, já eram habitadas por vários povos indígenas, EXCETO
a) Incas, 
b) Maias e 
c) Astecas, 
d) Aborígenes

8.  Sobre a América Latina  assinale a alternativa ERRADA

a) Corresponde aos subcontinentes da América Central e da América do Sul, além do México.
b) A denominação latina deve-se ao fato de essas regiões do Continente Americano terem sido colonizadas, predominantemente, por espanhóis e portugueses e, algumas, por franceses, que são três povos latinos.
c) Considera a formação da história e da cultura
d) Corresponde ao da América do Sul.

9. Considerando a Cordilheira dos Andes marque a alternativa ERRADA

a) Os vulcões chilenos, assim como todos os vulcões que se encontram na América do Sul, integram uma grande unidade de relevo, a Cordilheira dos Andes. 
b) Essa Cordilheira se estende de sul a norte, na borda oridental do Continente Americano
c)  Esse imponente conjunto de elevadas cadeias de montanhas influencia o quadro natural e a vida
das sociedades que ali se instalaram.
d) A região recebeu a denominação de América Andina.

10. Não é um País do Continente Americano
a) Bolívia
b) Brasil
c) Canadá
d) Singapura 
exercicios de geografia 8 ano continente americano com gabarito


Gabarito dos Exercícios sobre o Continente Americano

1.D
2.A
3.D
4.C
5.D
6.B
7.D
8.D
9.B
10.D

Saiba quais são os Municípios do Acre.

Lista de Cidades do Acre. Municípios do Brasil. Municípios do ACRE.  Nesta postagem você vai encontrar quantos municípios tem o Estado do Acre e poderá acessar o site da Prefeitura para encontrar serviços municipais, empresas municipais, publicações municipais, festas municipais, regulamentos municipais, teatros municipais  e outras informações de utilidade pública como telefone e diário oficial. Aproveite e confira também a imprensa oficial no portal da cidade 

Lista de Cidades do Acre


Lista de Cidades do Acre

Municípios do ACRE Gentílico Site/Diario Oficial dos Municipios
Acrelândia acrelandense
http://www.acrelandia.ac.gov.br/ Fora do ar
Assis Brasil assis-brasiliense http://www.assisbrasil.ac.gov.br/
Brasiléia brasileense http://www.brasileia.ac.gov.br/ 
Bujari bujariense http://www.bujari.ac.gov.br/
Capixaba capixabense http://www.capixaba.ac.gov.br/
Cruzeiro do Sul cruzeirense http://www.cruzeirodosul.ac.gov.br/
Epitaciolândia epitaciolandense http://www.epitaciolandia.ac.gov.br/
Feijó feijoense http://www.feijo.ac.gov.br/
Jordão jordãoense http://www.jordao.ac.gov.br/
Mâncio Lima mancio-limense http://www.manciolima.ac.gov.br/
Manoel Urbano manoel-urbanense http://www.manoelurbano.ac.gov.br/
Marechal Thaumaturgo thaumaturguense http://www.marechalthaumaturgo.ac.gov.br/
Plácido de Castro placidiano http://www.placidodecastro.ac.gov.br/
Porto Walter portowaltense http://www.portowalter.ac.gov.br/
Rio Branco rio-branquense http://www.riobranco.ac.gov.br/
Rodrigues Alves rodriguesalvense http://www.rodriguesalves.ac.gov.br/
Santa Rosa do Purus santarosense http://www.santarosadopurus.ac.gov.br/
Senador Guiomard guiomaense http://www.senadorguiomard.ac.gov.br/
Sena Madureira sena-madureirense http://www.senamadureira.ac.gov.br/
Tarauacá tarauacaense http://www.tarauaca.ac.gov.br/
Xapuri xapuriense http://www.xapuri.ac.gov.br/
Porto Acre portoacrense http://www.portoacre.ac.gov.br/


Cidades do Acre


As cidades do Acre (Municípios) de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o estado possui vinte e dois municípios, desde última alteração feita pela Lei № 1 034, de 28 de abril de 1992, criando a cidade de Jordão.

Acre é um dos estados brasileiros com o menor número de cidades e uma das unidades federativas menos populosa do Brasil.  O estado é oficialmente subdividido ainda em cinco microrregiões (Brasileia, Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Sena Madureira e Tarauacá) e duas mesorregiões (Vale do Acre e Vale do Juruá). 

Segundo o observatório geográfico da América Latina as cidades pioneiras são aquelas localidades de caráter urbano, que surgiram de forma planejada ou espontânea, paralelamente ao processo de ocupação da fronteira agrícola nos últimos 30 anos. No Acre podemos elencar como cidades pioneiras, Acrelândia, Capixaba e Bujari e os povoados e/ou núcleos rurais dos projetos de colonização. 

De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), as distâncias entre as capitais foram definidas a partir da menor
extensão pavimentada usando rodovias federais, estaduais ou municipais. Das dez capitais mais distantes de Rio Branco estão as nove cidades da Região Nordeste e Belém (PA), no Norte do país. As capitais mais próximas de Rio Branco são Porto Velho (RO), Manaus (AM) e Cuiabá (MT).


Mapa do Acre




Fonte: Cidades e Estados IBGE

[IDHTEC] 25 questões de Agente Comunitário de Saúde, com gabarito


[IDHTEC] 25 questões de Agente Comunitário de Saúde, com gabarito



25 QUESTÕES DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

16 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Na história natural das doenças de Leavell e Clark, 1950; a incapacidade residual refere-se a que nível de prevenção?

A. Proteção específica B. Tratamento precoce C. Limitação do dano D. Diagnóstico E. Reabilitação

17 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Uma dieta adequada é aquela que atende a necessidade nutricional de cada indivíduo, devendo ser, EXCETO:

A. Saborosa B. Variada C. Dissonante D. Equilibrada E. Segura microbiologicamente

18 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Refere-se aos roteiros adequados de uma visita domiciliar, EXCETO:

A. Reunir todos os dados pesquisados com a solicitação sobre o paciente ou a família que será visitada pela primeira vez, através de formulário: idade, sexo, motivo da solicitação, sinais e sintomas que o paciente apresenta e condições atuais; endereço correto e formas de contato (telefone, outros)
B. Revisar o produto do paciente já cadastrado, para inteirar-se de dados que podem ser úteis.
C. A partir do formulário de registro da solicitação, estabelecer o espaço de tempo em que deve ser realizada a visita, sendo padronizadas em no mínimo 15 minutos, e ainda em 30 ou 45 minutos.
D. Avaliar qual o profissional da equipe é indicado para avaliar a situação trazida, e se há necessidade de mobilizar outros recursos – da equipe ou externo.
E. Execução da visita com registro de dados mediante formulário de visita domiciliar.

19 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) A Vacina influenza (fracionada, inativada) é realizada anualmente para prevenção da doença. Pode ser administrada antes da exposição ao vírus e é capaz de promover imunidade efetiva e segura durante o período de circulação sazonal do vírus. São indicações para vacinação, EXCETO:
A. Crianças com idades de 6 meses a menos de 2 anos.
B. Gestantes.
C. Mães até 6 meses após o parto, amamentando.
D. Trabalhador de saúde que exerce atividades de promoção e assistência à saúde, atuando na recepção, no atendimento e na investigação de casos de infecções respiratórias, nos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade, cuja ausência compromete o funcionamento desses serviços.
E. Povos indígenas: para toda a população indígena, a partir dos 6 meses de idade.

20 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Quanto aos reservatórios da doença meningocócica é INCORRETO afirmar:
A. O homem é o principal reservatório, sendo a nasofaringe o local de colonização do microrganismo.
B. A colonização assintomática da nasofaringe pela N. meningitidis caracteriza o estado de portador que ocorre frequentemente, chegando a ser maior que 10% em determinadas faixas etárias nos períodos endêmicos, podendo o indivíduo albergar o meningococo por período prolongado.
C. As taxas de incidência de portadores são maiores entre adolescentes e adultos jovens e em camadas socioeconômicas menos privilegiadas.

D. Modo de transmissão é o contato direto pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias de pessoas infectadas, assintomáticas ou doentes.
E. A transmissão por fômites também é importante, acometendo 25 a 30% dos casos.

21 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Para efeito de controle, considera-se que o período de transmissão da coqueluche se estende, em média, do:
A. 7º dia após a exposição do doente até a 6ª semana do início das crises paroxísticas (acessos de tosse típicos da doença).
B. 1º dia após a exposição do doente até a 1ª semana do início das crises paroxísticas (acessos de tosse típicos da doença).
C. 3º dia após a exposição do doente até a 6ª semana do início das crises paroxísticas (acessos de tosse típicos da doença).
D. 5º dia após a exposição do doente até a 3ª semana do início das crises paroxísticas (acessos de tosse típicos da doença).
E. 10º dia após a exposição do doente até a 5ª semana do início das crises paroxísticas (acessos de tosse típicos da doença).

22 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) NÃO é um fatores de risco para o tétano neonatal:
A. Baixas coberturas da vacina antitetânica em mulheres em idade fértil (MIF).
B. Mães com obesidade ou baixo peso.
C. Partos domiciliares assistidos por parteiras tradicionais ou outros indivíduos sem capacitação e sem instrumentos de trabalho adequados.
D. Oferta inadequada de pré-natal em áreas de difícil acesso.
E. Baixa qualificação do pré-natal.

23 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Os fatores ambientais, populacionais e de serviços, que devem ser considerados para definição e delimitação de áreas de risco da cólera, são, EXCETO:
 A. Falhas na operacionalização e distribuição de água para consumo humano.
B. Solos baixos e alagadiços que permitem a contaminação da água por materiais fecais (principalmente em áreas sujeitas a ciclos de cheias e secas);
C. Densidade populacional baixa.
D. Populações confinadas (em presídios, asilos, orfanatos, hospitais psiquiátricos, quartéis, entre outros locais).
E. Áreas periportuárias, ribeirinhas e ao longo de eixos rodoviários e ferroviários.

24 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) São medidas de proteção individual para doenças causadas por mosquitos, EXCETO:
A. Roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos.
B. Repelentes compostos por DEET, IR3535 ou Icaridin que devem sempre ser aplicados na pele exposta ou não.
C. A utilização de mosquiteiro proporciona boa proteção.
D. Para redução das picadas por mosquitos em ambientes fechados, o uso de inseticidas domésticos em aerossol, espiral ou vaporizador.
E. Instalação de estruturas de proteção no domicílio, como telas em janelas e portas.

25 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) As formas crônicas da Esquistossomose Mansoni acometem geralmente:

A. Fígado B. Região nasofaríngea C. Região cardiovascular D. Pulmão E. Intestino

26 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) O escorpião-amarelo do Nordeste é do tipo:

A. Tityus stigmurus B. Tityus serrulatus C. Tityus bahiensis D. Tityus obscurus E. Tityus cambridgei

27 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Os dentes de leite são em número de:
A. 20, sendo 8 incisivos, 4 caninos, 8 pré-molares.
B. 20, sendo 8 incisivos, 4 caninos e 8 molares.
C. 16, sendo 8 incisivos, 4 caninos e 4 molares.
D. 28, sendo 8 incisivos, 4 caninos, 8 pré-molares e 8 molares.
E. 32, sendo 8 incisivos, 4 caninos, 8 pré-molares e 12 molares.

28 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Entre os riscos com maiores relações com crianças quando começa a engatinhar ou a andar, estão, EXCETO:
A. Sufocação com sacos plásticos.
B. Choques em fios e tomadas.
C. Mordeduras e picadas por animais peçonhentos.
D. Quedas de árvores, muros, brinquedos de velocidade (patins, bicicletas e skates).
 E. Ingestão ou inalação de pequenos objetos (moedas, clips, tampinhas).

29 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) O ACS pode atuar de duas formas: Junto às pessoas que não têm o diagnóstico de hipertensão, mas possuem os fatores de risco; e Em relação às pessoas, com diagnóstico de hipertensão. São ações sugeridas para o primeiro caso, EXCETO:
A. Estimular a adoção de hábitos alimentares saudáveis, com baixo teor de sal, baseados em frutas, verduras, derivados de leite desnatado.
B. Orientar a redução do consumo de bebidas alcoólicas ou seu abandono.
C. Estimular a realização de atividades físicas regulares a serem iniciadas de forma gradativa.
D. Verificar regularmente a pressão arterial e utilizar corretamente a medicação (Bloqueadores dos canais de cálcio e inibidores da enzima conversora da angiotensina).
E. Orientar para o agendamento de consulta na UBS.

30 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) São papéis do ACS em relação ao câncer de próstata, EXCETO:
A. Promover reuniões para discutir o tema, desmistificando a realização do exame de toque, que será necessário em alguns casos.
B. Discutir também o tema com as mulheres para que possam conversar com seus parceiros, companheiros, irmãos.
C. Orientar para que os homens com mais de 50 anos fiquem atentos a sintomas urinários.
D. Orientar para que os homens com mais de 40 anos com histórico familiar de câncer de próstata procurem a UBS.
E. Conscientizar os homens de que diante de algum problema urinário seja procurada a unidade.

31 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Na coleta seletiva, a lixeira laranja é utilizada para coleta de:
A. Vidro B. Metal C. Resíduos perigosos D. Resíduos radioativos E. Resíduos orgânicos

32 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) São atribuições do agente de saúde, EXCETO:
A. Realizar mapeamento de cada micro-área.
B. Cadastrar as famílias.
C. Visitar cada domicílio pelo menos um vez a cada 2 meses.
D. Estimular a comunidade para práticas que proporcionem melhores condições de saúde e de vida.
E. Fazer a ligação entre as famílias e o serviço de saúde.

33 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) São reservatórios da Leishmaniose Tegumentar Americana, EXCETO:

A. Tatu B. Tamanduá C. Mosquito palha D. Gambá E. Roedores

34 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Dentre os fatores de risco que podem contribuir para a gravidez atual estão os interligados a história reprodutiva anterior, dos quais é INCORRETO afirmar:
 A. Morte perinatal explicada ou inexplicada.
B. Recém-nascido com restrição de crescimento, prétermo ou malformado.
C. Intervalo interpartal menor que um ano ou maior que três anos.
D. Nuliparidade e multiparidade. E. Síndromes hemorrágicas.

35 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) A cadeia epidemiológica é composta por, EXCETO:
A. Fonte de infecção B. Via de eliminação C. Meio de transmissão D. Porta de entrada E. Controle e cura

36 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) São cuidados importantes com a camisinha, EXCETO: A. Carregar permanentemente a camisinha na carteira, bolso da calça, agenda, para estar sempre disponível quando preciso. B. Não abrir a embalagem com os dentes, unha ou tesoura, a embalagem já vem picotada nas laterais para facilitar sua abertura. C. Não usar lubrificantes oleosos, como vaselina ou manteiga. D. Nunca se deve usar duas camisinhas ao mesmo tempo, nem masculina com feminina, nem duas masculinas, nem duas femininas, pois o risco de rompimento é maior. E. Verificar o prazo de validade e se tem o selo do Inmetro, que determina a qualidade da camisinha.

37 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Sobre as orientações aos familiares, idosos e/ou cuidadores quanto a cuidados com o uso adequado da medicação é INCORRETO afirmar:
A. Colocar os medicamentos em uma caixa com tampa (plástica ou de papelão) ou vidro com tampa, tomando o cuidado de usar caixas diferentes para medicamentos dados pela boca (via oral), para material de curativo e para material e medicamentos para inalação.
B. Verificar com o médico a possibilidade de dar os medicamentos em horários padronizados, como: café da manhã, almoço e jantar.
C. Deixar somente a última receita médica na caixa de medicamentos, isso pode evitar confusão quando há troca de medicamentos ou de receitas e facilita a consulta em caso de dúvidas.
D. Usar como referência cor e tamanho do comprimido, para facilitar memorização do idoso.
E. Ter sempre segurança quanto à quantidade no caso de medicamentos líquidos. Nunca substituir as colheres- medida ou o conta-gotas que vieram junto com o medicamento.

38 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Caracterizam o crescimento do corpo humano, EXCETO:
A. Representa o desenvolvimento físico.  B. É expressão da hiperplasia e hipertrofia celulares.
C. Capacidade de uma criança de realizar tarefas cada vez mais complexas (novas habilidades).
D. É quantitativo: avaliação do peso e altura da criança.
E. Um dos indicadores de saúde mais importantes da criança.

39 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) O primeiro sinal da puberdade masculina é:
A. Aumento do volume dos testículos;
B. Surgimento dos pelos pubianos;
C. Aumento do pênis em comprimento e espessura;
D. Surgimento de pelos axilares e faciais; E. Mudança da voz: estimulação androgênica

40 – (IDHTEC/BaixaVerde/2019) Sobre a reorganização do processo de trabalho das equipes na Atenção Básica de Saúde é INCORRETO afirmar:
A. Território único deve direcionar a integração do processo de trabalho entre a equipe de Atenção Básica e a Vigilância em Saúde.
B. O planejamento deve reorganizar a territorialização e os processos de trabalho de acordo com a realidade local.
C. A gestão deve definir o território de responsabilidade de cada equipe.
D. Cada equipe deve conhecer o território de atuação para programar suas ações de acordo com o perfil e as necessidades da comunidade.
E. Possibilidade, de acordo com a necessidade e conformação do território, através de pactuação e negociação entre gestão e equipes, que o usuário possa ser sempre atendido dentro de sua área de cobertura, para manter o diálogo e a informação com a equipe de referência.

Gabarito

[IDHTEC] 25 questões de Agente Comunitário de Saúde, com gabarito

Dicas práticas sobre a disciplina em sala de aula:



Dicas práticas sobre a disciplina em sala de aula:


Dicas práticas sobre a disciplina em sala de aula

Comece sendo firme com os alunos: você pode relaxar depois.
Fique em silêncio antes de falar com a classe.
Conheça e use os nomes dos alunos.
Prepare as lições cuidadosamente e estruture-as firmemente.
Seja móvel: ande pela sala de aula.
Comece a lição com um brilhantismo e mantenha o interesse e a curiosidade.
Fale claramente.
Verifique se suas instruções estão claras.
Observe a classe ao falar.
Prepare um material extra (para lidar com as mais lentas / mais rápidas).
Torne o trabalho adequado à idade, capacidade, cultura de seus alunos ...
Desenvolva uma técnica eficaz de questionamento.
Desenvolva o cronograma da arte da sua lição para se ajustar ao período disponível.
Use humor construtivamente.
evite confrontos.
Esclareça regras e padrões fixos e seja consistente em aplicá-los.
Mostre-se como apoiador e ajudante dos alunos.
Varie suas técnicas de ensino.
Seja caloroso e amigável com os alunos.
Aceite o que o aluno diz e transmita uma atitude de sinceridade
Concentre-se em um aspecto do problema que pode ser gerenciado
Esclarecer o que precisa ser alterado?
Explore o que funcionou com sucesso no passado

Exercícios sobre Surrealismo e Romance de 30

Exercícios sobre Surrealismo e Romance de 30

Questões sobre o Romance de 30

1. Analise os seguintes itens e marque a alternativa CORRETA:
I - Uma das características comuns aos romances de 30 são o retrato direto da realidade em seus elementos históricos e sociais
II - Quanto à temática, os romancistas de então enfatizam as questões sociais e ideológicas.

a) somente I está correto
b) I e II estão corretos
c) somente II está correto
d) nenhum dos itens estão corretos

2. Assinale a alternativa que não apresenta uma obra do Romance de 30
a)1928: A Bagaceira, de José Américo de Almeida, (PB)
b) 1930: O Quinze, de Rachel de Queiroz, (CE)
c) 1934: São Bernardo, de Graciliano Ramos, (AL)
d) 1924: O Ritmo dissoluto Manuel Bandeira (RJ)

3. Assinale a alternativa que não apresenta um autor Romance de 30
a) Érico Veríssimo, (RS)
b) Jorge Amado, (BA)
c) Salvador Dali, (BA)
d) Graciliano Ramos, (AL)

4. Sobre o regionalismo no Romance de 30 assinale a alternativa ERRADA:
a) tem escritores como o baiano Jorge Amado, o gaúcho Erico Verissimo, o paraibano José Lins do Rego e o alagoano Graciliano Ramos. 
b)o autor realista descreve sua terra e sua gente, mas não com exaltação;
c) tem como características compreensão do momento presente, das desigualdades sociais, da formação da elite etc.


d) o autor realista descreve sua terra e sua gente ressaltando e realçando suas qualidades e com grande exaltação;

5. (IFMT 2012) O romance regionalista, ou romance de 30, tem Graciliano Ramos como um de seus expoentes. Qual seu tema de eleição nessa obra?
[A] A inclemência da natureza na região nordestina, impossível de ser mitigada pela ação humana.
[B] A degradação humana na zona rural, em contraponto às alternativas oferecidas pela cidade.
[C] A tragédia social relacionada ao sistema fundiário e agravada pelas condições naturais.
[D] Os ciclos da natureza e a consequente comunhão entre homens de todas as classes sociais.

6.  (IFMT 2012) Sobre o estilo de Graciliano Ramos, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.
( ) Construções como Os pés calosos, duros como cascos... zumbiu Sinhá Vitória... rosnou uma objeção... revelam a antropomorfização humana, bichos sem vida interior, atentos apenas aos seus instintos .
( ) O narrador utiliza-se do discurso indireto livre, uma forma que revela empatia pela personagem e seus percalços.
( ) Em E talvez esse lugar para onde iam fosse melhor que os outros onde tinham estado, a possível esperança indiciada pelo advérbio talvez é logo contida pela indicação de que essa ação já se repetira muitas outras vezes.

Assinale a sequência correta.
[A] F, V, V
[B] F, F, V
[C] V, F, F
[D] V, F, V


Gabarito dos Exercícios de Literatura Brasileira sobre o Romance de 30


1. B
2. D
3. C
4. D
5.C
6.A

Questões de Literatura Brasileira sobre Surrealismo

Questões de Literatura Brasileira sobre Surrealismo:


1. Identifique a expressão que pode ser considerada a principal manifestação artística do surrealismo. 
A) Poesia
B) Pintura
C) Música
D) Arquitetura

2. Com relação ao Surrealismo analise as afirmativas
I - Uma corrente mantém o caráter figurativo, mas produz formas inusitadas a partir da distorção ou justaposição de imagens conhecidas. 
II - É comum figuras que “flutuam” no quadro ou que estabelecem uma nova proporção entre objetos e pessoas. 
III - Salvador Dali é um dos expoentes do movimento. 

A) Somente o Item I está correto
B) Os itens I e II estão corretos
C) Os itens I e III estão corretos
D) Todos os itens estão corretos

3. É um exemplo de arte surrealista a tela Magia Negra, que representa a mulher metade estátua, metade humana. Quem é o autor desta telaw 
A) René Magritte
B) Salvador Dali
C) Edvard Munch
D) Leonardo da Vinci

4. Com relação ao Surrealismo assinale a alternativa Incorreta
A) Entre os expoentes do radicalismo surrealista estão Juan Miró e Max Ernst. 
B) As telas de Juan Miró se caracterizam por composições repletas de formas coloridas construídas com linhas fluidas e curvas. 
C) O Carnaval de Arlequim e A Cantora Melancólica são duas das principais obras de Max Ernst. 
D) Max Ernst explora a colagem de papéis variados, como gravuras antigas e revistas, para criar universos fantásticos.

5. No Brasil, há traços surrealistas em algumas obras, EXCETO:
A)Tarsila do Amaral (1886-1973), como na tela Abaporu, 
B) Ismael Nery (1900-1934), cuja tela Nu mostra uma mulher que é branca de um lado e negra 
C)  Cícero Dias (1908-) que no início da carreira pinta Eu Vi o Mundo, Ele Começava no Recife, obra que apresenta todas as características surrealistas. 
D) Aleijadinho um dos grandes escultores que influencia o movimento

6. Suas peças têm caráter fantástico, como o bronze O Impossível, em que bustos humanos têm lanças no lugar da cabeça. O autor com traços surrealista em questão foi?
A) Maria Martins (1900-1973). 
B) Piet Mondrian (1872-1944
C) Ismael Nery (1900-1934)

D) Alberto Giacometti (1901-1966)


Gabarito das questões objetivas

1. B
2. D
3. ?
4. C
5. D

6. A

Exercícios de Literatura Brasileira sobre Sonetos:

Exercícios de Literatura Brasileira sobre Sonetos:


1) Na estrutura clássica do soneto encontramos
a) dois tercetos (estrofe de três versos) e dois duetos (estrofe de duas versos).
b) dois quartetos (estrofe de quatro versos) e dois tercetos (estrofe de três versos).
c) dois quartetos (estrofe de quatro versos) e dois duetos (estrofe de duas versos).
d) dois quintetos (estrofe de cinco versos) e dois tercetos (estrofe de três versos).

2) Sobre o soneto é correto afirmar que
a) Por ser clássica não é usada hoje.
b) Apesar de ser clássica não é considerada literatura.
c) Apesar de ser clássica é ainda usada até hoje.
d) Apesar de ser clássica deixou de ser usada.

3) A Estrutura poética fixa clássica é composta de

a) 14 versos, dividido em quatro estrofes
b) 24 versos, dividido em duas estrofes
c) 14 versos, dividido em três estrofes
d) 10 versos, dividido em cinco estrofes

4) Na estrutura clássica do soneto encontramos
a) dois tercetos (estrofe de três versos) e dois duetos (estrofe de duas versos).
b) dois quartetos (estrofe de quatro versos) e dois tercetos (estrofe de três versos).
c) dois quartetos (estrofe de quatro versos) e dois duetos (estrofe de duas versos).
d) dois quintetos (estrofe de cinco versos) e dois tercetos (estrofe de três versos).

5) Sobre o soneto é correto afirmar que
a) Por ser clássica não é usada hoje.
b) Apesar de ser clássica não é considerada literatura.
c) Apesar de ser clássica é ainda usada até hoje.
d) Apesar de ser clássica deixou de ser usada.

6) Não é um Famoso sonetistas
a) Tancredo Neves,
b) Gregório de Matos,
c) Augusto dos Anjos,
d) Vinícius de Moraes.

7. (CascalhoRico2015) Marque a alternativa incorreta: 
a) Soneto: composição poética em doze versos, divididos em quatro estrofes, as duas primeiras de dois versos e as duas últimas de dois versos; 
b) Poesia é a forma de expressão lingüística destinada a evocar sensações, impressões e emoções por meio da união de sons, ritmos e harmonias, utilizando-se vocábulos essencialmente metafóricos; 
c) A obra literária pode apresentar-se sob a forma de PROSA (em frases, orações, períodos e parágrafos) ou de VERSOS (em estrofes, versos, emprego da rima, do ritmo etc.); 
d) Fábula é uma composição literária em que os personagens são geralmente animais, forças da natureza ou objetos, que apresentam características humanas, tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias são geralmente feitas para crianças e terminam com um ensinamento moral de caráter instrutivo.

SONETO DE FELICIDADE

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor ( que tive)
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
(Vinícius de Moraes)

8. (SESC/PE-2013) O soneto acima é formado por versos

A) redondilha menor.
B) redondilha maior.
C) decassílabos.
D) bárbaros.
E) alexandrinos.

9. (SESC/PE-2013) Na primeira estrofe, as rimas são classificadas como
A) interpoladas e emparelhadas.
B) cruzadas e alternadas.
C) alternadas e cruzadas.
D) perdida e órfã.
E) emparelhadas e interpoladas.

10. (SESC/PE-2013) O soneto de Vinícius de Moraes pertence ao gênero
A) Elegia.
B) Narrativo.
C) Dramático.
D) Épico.
E) Lírico.
Exercícios de Literatura Brasileira sobre Sonetos

Gabarito Exercícios de Literatura Brasileira sobre Sonetos

1 B
2 C
3 A
4 B
5 C
6 A
7 A
8 C   
9 A   
10 E

.
Tecnologia do Blogger.

 

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

voltar