5 Estágios de Desenvolvimento Ortográfico na Alfabetização

A teoria mais influente para impactar o ensino da ortografia é a teoria do estágio de desenvolvimento. De acordo com Gentry (1982, 2004), existem cinco estágios de desenvolvimento ortográfico:


5 Estágios de Desenvolvimento Ortográfico na Alfabetização

5 Estágios de Desenvolvimento Ortográfico na Alfabetização


  1. Fase pré-comunicativa / pré-fonética: as palavras são representadas usando strings de letras e símbolos que não se relacionam com os sons em palavras.
  2. Fase semi-fonética: os alunos começam a representar alguns dos sons em palavras, mais frequentemente consoantes ou sílabas inteiras, com letras plausíveis ou combinações de letras. Este é geralmente o começo da ortografia inventada.
  3. Fase fonética: todo som em palavras é representado por letras. Os alunos mostram a consciência de algumas correspondências entre letras e sons. Alguns alunos podem estagnar neste estágio se não aprenderem a usar outras estratégias além do conhecimento fonológico.
  4. Fase de transição: os alunos começam a prestar mais atenção ao conhecimento ortográfico e morfêmico, bem como regras de ortografia. Mais palavras são soletradas convencionalmente.
  5. Ortografia convencional: a maioria das palavras são soletradas convencionalmente. Os alunos controlam o conhecimento fonológico, ortográfico e morfológico necessário e usam uma série de estratégias.
A ortografia como método de ensino também inclui a leitura e escrita. Aprender como as palavras e o letramento contribui para o desenvolvimento do vocabulário. Isso, por sua vez, suporta a compreensão de leitura e aprimora as escolhas feitas ao compor textos escritos. Embora se reconheça que a capacidade ortográfica não está relacionada à inteligência, a má grafia pode afetar o desempenho em todas as áreas do currículo escolar.

Nas atividades educação infantil e alfabetização, a ortografia é um processo importante para ensinar a ler e escrever considerando os mais diversos métodos de alfabetização e letramento.


Leia também:



Gentry, JR (1982). An analysis of developmental spelling in “GYNS AT WK”, The Reading Teacher, 36(2), 192-200.

Gentry, JR (2004). The science of spelling: the explicit specifics that make great readers and writers (and spellers), Portsmouth, NH.: Heinemann.



Por blog caderno de educação


.
Compartilhe em suas Redes Sociais!


Sobre:
O Blog Caderno de Educação visa compartilhar conteúdo educacional e proporcionar a troca de material didático e experiência entre profissionais da área de educação e, também, disponibilizar material educativo para estudantes, candidatos a concursos públicos, vestibular e ENEM das mais diversas áreas do conhecimento como literatura, história, gramática, geografia, biologia, matemática, física, informática, pedagogia e outras, além de notícias.

Postagens relacionadas, sugeridas e anúncios

0 comentários:

Postar um comentário

.

 

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.