Questões sobre Os Sertões, pré-modernismo, com gabarito. Exercícios resolvidos sobre o livro de Euclides da Cunha autor pré-modernista no Brasil. Sugerido para as aulas de literatura de ensino fundamental e médio. 


Questões sobre Os Sertões, pré-modernismo, com gabarito
by Pixabay

Questões sobre os sertões, pré-modernismo, com gabarito




1. (Serrita PE 2015) “O sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não tem o raquitismo exaustivo dos mestiços neurastênicos do litoral. A sua aparência, entretanto, no primeiro lance de vista, revela o contrário...” 
Os Sertões – Euclides da Cunha

  • a) O autor quis mostrar que a superioridade do sertanejo em relação ao litorâneo tem
  • um fundamento racial.
  • b) O autor valoriza a raça do homem do litoral
  • c) O autor usa uma linguagem romântica para descrever o sertanejo e os sertões.
  • d) A denúncia do crime cometido pela nação conta si própria na Guerra de Canudos não é o tema de “Os Sertões




Publicidade


2. (Chapecó 2017/FEPESE) “Canudos não se rendeu. Exemplo único em toda história, resistiu até o esgotamento completo.Expugnado palmo a palmo, na precisão integral do termo, caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosa mente cinco mil soldados”. (CUNHA, 1987, p. 4017)

Esse trecho, retirado da obra Os Sertões, de Euclides da Cunha, retrata a chamada Guerra de Canudos.Sobre esse conflito, assinale a alternativa correta.

  • a. ( ) Envolveu a população sertaneja do nordeste,em especial da Bahia, que lutava basicamente contra a injusta situação fundiária e de miséria.
  • b. ( ) Entre as lideranças de Canudos destaca-se o monge João Maria, cujas promessas de salvação eterna foram capazes de mobilizar aproximadamente 30 mil pessoas para o arraial de Canudos.
  • c. ( ) Já na primeira expedição, o Exército conseguiu sitiar Canudos que não conseguiu resistira o cerco das tropas armadas com metralhado-res e com canhões.
  • d. ( ) Canudos era considerado um “mau exemplo”pelo governo do Estado da Bahia por dividiras terras de forma igual entre os seus habitantes, garantindo que todos possuíssem sua propriedade privada.
  • e. ( ) Antônio Conselheiro foi uma das lideranças de Canudos e, por ser um defensor da República,ganhou diversos simpatizantes entre os membros do governo.



3) (FHA-MG/IBFC) Considere o trecho abaixo, extraído de Os sertões, de Euclides da Cunha.
"Decididamente era indispensável que a campanha de Canudos tivesse um objetivo superior à função estúpida e bem pouco gloriosa de destruir um povoado dos sertões. Havia um inimigo mais sério a combater, em guerra mais demorada e digna. Toda aquela campanha seria um crime inútil e bárbaro, se não se aproveitassem os caminhos abertos à artilharia para uma propaganda tenaz, contínua e persistente, visando trazer para o nosso tempo e incorporar à nossa existência aqueles rudes compatriotas retardatários."

Analise as afirmações abaixo.

  • I. O trecho indica a imparcialidade e a neutralidade de Euclides da Cunha, escritor e jornalista, apenas preocupado, com uso do narrador em terceira pessoa, em registrar o conflito.
  • II. Observa-se na obra, representante do Pré-Modernismo, a descrição apoiada no cientificismo para explicar o conflito, o povo e o cenário.


Está correto o que se afirma em

  • a) somente I 
  • b) somente II
  • c) I e II
  • d) nenhuma

Clique aqui para acessar o Livro Os Sertões em PDF

Gabarito das questões sobre os Sertões

1A 2A 3B


==============


Considerando o texto responda as questões 1 a 3 do livro sertões abaixo

Então, a travessia das veredas sertanejas é mais exaustiva que a de uma estepe nua.
Nesta, ao menos, o viajante tem o desafogo de um horizonte largo e a perspectiva das planuras francas. Ao passo que a caatinga o afoga; abrevia-lhe o olhar; agride-o e estonteia-o; enlaça-o na trama espinescente e não o atrai; repulsa-o com as folhas urticantes, com o espinho, com os gravetos estalados em lanças, e desdobra-se-lhe na frente léguas e léguas, imutável no aspecto desolado: árvore sem folhas, de galhos estorcidos e secos, revoltos, entrecruzados, apontando rijamente no espaço ou estirando-se flexuosos pelo solo, lembrando um bracejar imenso, de tortura, da flora agonizante” (CUNHA, Euclides da. Os sertões. 29. Ed. Rio de Janeiro: Círculo do livro, 1975. p. 38).

1. A respeito do livro Os sertões, afirmou o crítico Massaud Moisés: “É um ensaio recheado de elementos estéticos e literários”. Usando como exemplo o excerto acima, a opinião do crítico traduz-se em:

  • a) A relação empática entre o sujeito e o objeto observado determina os caracteres ensaísticos do texto.
  • b) Em essência, o texto revela fatos observados e sentidos numa simbiose entre a imaginação e a concepção estética da linguagem.
  • c) O texto apresenta um substrato linguístico de perfil estético, mas não se desvencilha de seu caráter dissertativo argumentativo.
  • d) O caráter ensaístico do texto esvazia de sentidos a atuação do sujeito.
  • e) Evidenciam-se os constituintes ficcionais que fazem do texto um produto da imaginação e da recriação estética.


2. Numa visão generalista, os sertões

  • a) apresenta imagens de um ambiente hostil, completamente recriadas pela imaginação do sujeito.
  • b) é exemplo de uma construção linguística mapeada por elementos constituintes de um texto dissertativo.
  • c) fundamenta-se nas circunstâncias, visto que, para o processo criador, seria impossível apresentar imagens da caatinga sem ser dependente daquele mundo hostil.
  • d) abdica das metáforas para não sucumbir aos apelos fantasiosos de uma narrativa ficcional.
  • e) não está centrado apenas na referência aos dados da realidade; consta-lhe também um tratamento estético, tanto na ordem dos sentidos quanto na estruturação semântica.

3. Mas, sendo também uma obra de ficção, o texto de Euclides da Cunha

  • a) vale-se da impessoalidade do discurso para revelar uma imagem do ambiente sertanejo esteticamente concebida.
  • b) privilegia uma ação cognoscitiva diante da realidade, ou seja, quer descrever o mundo exterior sem transpor as relações lógicas entre os significantes e os significados.
  • c) institui ao ambiente uma forma de expressão da caatinga a partir das correlações temporais lineares que se processam entre o mundo sensível e o sujeito.
  • d) constitui-se de uma concepção linguística tradicional para rever imagens preexistentes e singularizadas no processo criador.
  • e) é também um construto linguístico de caráter estético  esboçado por nuances subjetivas que evidenciam as interferências da emoção do sujeito sobre o ambiente. 

4. (IFRN/2013)Avalie as afirmativas abaixo acerca do Pré-Modernismo brasileiro.
I. Pré-Modernismo não constitui propriamente uma escola literária, mas um momento de transição  entre a tradição literária do séc. XIX e a sua ruptura radical, proporcionada pelo Modernismo.
II. Em relação às obras pré-modernistas, percebe-se uma divergência entre a prosa e a poesia, pois, enquanto a prosa anunciava a modernidade, a poesia ainda mantinha-se ligada aos temas recorrentes no séc. XIX.
III. São considerados pré-modernistas escritores como Euclides da Cunha, Lima Barreto e Monteiro Lobato, cujas obras expressaram uma visão crítica e questionadora dos problemas brasileiros.
IV. A prosa pré-modernista está ligada a um momento de importação da identidade do povo brasileiro e de reinvenção de tipos marginalizados, como o sertanejo de Os sertões e o caipira de Urupês.

Estão corretas as afirmativas

  • A) I e III.
  • B) I e IV.
  • C) II e III.
  • D) II e VI.
5 - (Curitiba 2014/UFPR) “Então, a travessia das veredas sertanejas é mais exaustiva que a de uma estepe nua. Nesta, ao menos, o viajante tem o desafogo de um horizonte largo e a perspectiva das planuras francas. Ao passo que a caatinga o afoga; abrevia-lhe o olhar; agride-o e estonteia-o; enlaça-o na trama espinescente e não o atrai; repulsa-o com as folhas urticantes, com o espinho, com os gravetos estalados em lanças; e desdobra-se-lhe na frente léguas e léguas, imutável no aspecto desolado: árvores sem folhas, de galhos estorcidos e secos, revoltos, entrecruzados, apontando rijamente no espaço ou estirando-se flexuosos pelo solo, lembrando um bracejar imenso, de tortura, da flora agonizante...”. (CUNHA, 2011, p. 70)
O trecho acima, do livro Os Sertões (Campanha de Canudos), de Euclides da Cunha, apresenta algumas características da vegetação da caatinga, segundo as impressões do autor. Assinale a alternativa que indica corretamente outras características desse domínio.

  • a) O tipo climático predominante na área da caatinga é o árido, em que se destacam a elevada temperatura e a precipitação altamente irregular.
  • b) Um dos graves problemas ambientais na caatinga tem sido a ampliação das áreas afetadas ou suscetíveis à desertificação, potencializada pelo modo de ocupação do território.
  • c) As principais bacias hidrográficas dessa região são as do São Francisco e do Paranaíba, no entanto, vários dos afluentes desses dois rios são intermitentes.
  • d) As características da caatinga favorecem a existência de fauna e floras únicas, porém de pouca diversidade biológica e pobres em recursos energéticos.
  • e) A área da caatinga apresenta paisagens morfológicas e fitogeográficas de forte apelo ao turismo, destacando-se principalmente as Chapadas Diamantina e dos Guimarães. 


Clique aqui para acessar o Livro Os Sertões em PDF

Gabarito das questões do texto sobre os sertões

1 C  2 E  3 E 4 A 5 B




Questões Discursivas sobre os Sertões


1 - Ao definir o sertanejo como uma raça forte o autor faz alusão a  um herói da mitologia grega e a um personagem da literatura clássica de Vitor Hugo. Descreva essas comparações.
  • "Colado ao dorso deste, confundindo-se com ele, graças à pressão dos jarretes firmes, realiza a criação bizarra de um centauro bronco"
  • "É desgracioso, desengonçado, torto. Hércules-Quasímodo, reflete no aspecto a fealdade típica dos fracos."


2 - O Livro Os Sertões também é caracterizado pelo seu cientificismo. O Ciclo das secas para o autor se defrontam em paralelismo singular, uma coincidência repetida bastante. Explique como o autor explicou este fenômeno.
  • Ele cita as maiores, as secas de 1710-1711, 1723-1727, 1736-1737, 1744-1745, 1777-1778, do século XVIII. E de 1808-1809, 1824-1825, 1835-1837, 1844-1845, 1877-1879. Esta coincidência, é que de fato, sendo, no século anterior, o maior interregno de 32 anos (1745-1777), houve no nosso outro absolutamente igual e, o que é sobremaneira notável, com a correspondência exatíssima das datas (1845-1877).


3 - A relação com a natureza é uma das marcas do escritor. De que forma o autor de Os Sertões diferencia a luta pela vida nas caatingas da luta pela vida nas florestas?
  • A luta pela vida, que nas florestas se traduz pela busca da luz, fugindo ao afogado das sombras e alteando-se para os raios do Sol 
  • Nas caatingas dos Sertões é oposta, é mais obscura, é mais original, é mais comovedora. O Sol é o inimigo que é forçoso evitar, iludir ou combater.


4 - Para Euclides da Cunha qual é a árvore sagrada do sertão e porque ele assim a considera?
  • Se não existisse o umbuzeiro aquele trato de sertão estaria despovoado. O umbu alimenta e mitiga a sede do sertanejo.  Sócia fiel das rápidas horas felizes e longos dias amargos dos vaqueiros. Representa o mais frisante exemplo de adaptação da flora sertaneja.


5 -  O autor não se prende a retratar ou explicar o ambiente de forma científica deixando o fato literário sobrepor o real com uma narrativa vibrante  e carregada. 
"O contraste é empolgante." Afirma o autor de Os Sertões ao se referir a uma comparação entre Costa e o Sertão Nordestino. Explique, de forma resumida, esta visão do escritor.

  • Para ele a extensa faixa da costa, que vai da Bahia a Paraíba, se vêem transições mais acentuadas, com natureza exuberante ostenta-se sem variantes nas grandes matas que debruam a costa, fazendo que a observação rápida do estrangeiro prefigure dilatada região vivaz e feracíssima. 
  • Por outro lado para o autor quebra-se o "encanto de ilusão belíssima e a natureza empobrece-se; despe-se das grandes matas; abdica o fastígio das montanhas; erma-se e deprime-se — transmudando-se nos sertões exsicados e bárbaros, onde correm rios efêmeros, e desatam-se chapadas nuas, sucedendo-se, indefinidas, formando o palco desmedido para os quadros dolorosos das secas."  Regiões opostas com opostas condições à vida. "Entra-se, de surpresa, no deserto."

6 - Para o autor o sertão de Canudos é um índice sumariando a fisiografia dos sertões do Norte. Quais são os seis estados que segundo o escritor de uma certa forma convergem com esta área?

  • Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Ceará e Piauí — que o tocam ou demoram distantes poucas léguas. 

7 - Relacione os termos que, na sua visão, descrevem a visão que Euclides tinha a respeito de Conselheiro.
  • Livre. Exemplos: Pavoroso, Arrebatador, Bufão, Pietista.

Clique aqui para acessar o Livro Os Sertões em PDF

Postado por: Equipe do Caderno Educação .


.
Compartilhe em suas Redes Sociais!

Publicidade

Sobre:
O Blog Caderno de Educação visa compartilhar conteúdo educacional e proporcionar a troca de material didático e experiência entre profissionais da área de educação e, também, disponibilizar material educativo para estudantes, candidatos a concursos públicos, vestibular e ENEM.

Postagens relacionadas, sugeridas e anúncios

3 comentários:

 
Top