Publicidade

Alfarrábios: o Ermitão da Glória José de Alencar


Título:
  Alfarrábios: o Ermitão da Glória

Autor:  José de Alencar  

Categoria:  Literatura

Idioma:  Português

Alfarrábios: o Ermitão da Glória José de Alencar




Fragmento do texto

AO CORSO

Cahia a tarde.

A borrasca, tangida pelo nordeste, desdobra-
va sobre o oceano o manto bronzeado.

Com a sombra, que projectavam os negros cas-
tellos de nuvens, carregava-se o torvo aspecto

da costa.
As ilhas que bordam esse vasto seio de mar,
entre a Ponta dos Búzios e Cabo Frio, confim -
diam-se com a terra firme, e pareciam apenas
saliencias dos rochedos.
Nas aguas da ilha dos Papagaios balouçava-se
um barco de borda rasa e um só mastro, tão
cosido á terra, que o olhar do mais pratico ma-
II 1

2 ALFARRABIOS

rinheiro não o distinguiria a meia milha de dis-
tancia entre as íraguras do penedo e o farilhão

dos abrolhos.

Pelas amuradas e convez do barco viam-se re-
costados ou estendidos de bruços, cerca de dez

marujos, que passavam o tempo a galhofar, mo-
lhando a palavra em um garrafão de boa cachaça

de S. Gonçalo, cada um quando chegava a sua
vez.

No tilhá sobre alva esteira de côco estava sen-
tada uma linda morena, de olhos e cabellos ne-
gros, com uma boca cheia de sorrisos e feitiços.

Tinha ao collo a bella cabeça de um rapaz, dei-
tado sobre a esteira, n'uma posição indolente, e

com os olhos cerrados, como adormecido.

De momento a momento, a rapariga debruça-
va-se para pousar um beijo em cheio nos lábios

do moço, que entreabria as palpebras e recebia
a caricia com um modo, que revelava quanto já
se tinha saciado na ternura da meiga cachopa.

— Acorde, preguiçoso! dizia esta galan-
teando.

— Teus beijos embriagam, amor! Não o sa-
bias ? respondeu o moço fechando os olhos.

N'esse instante um homem, que descêra a
abrupta encosta do rochedo com extrema agili-

O ERMITÃO DA GLORIA 3
dade, atirou-se á ponta da verga, e travando de
uma driça deixou-se escorregar até o convez.
O desconhecido, que assim chegava de modo
tão singular, era já bem entrado em annos, pois
tinha a cabeça branca e o rosto cosido de rugas;
mas conservára a elasticidade e nervo da idade
viril.

Com a arfagem que o movimento do velho im-
primiu ao navio, sobresaltou-se toda a maruja;

e o moço que estava deitado na esteira, ergueu-
se de golpe, como si o tocára occulta mola.

N'esse mancebo resoluto, de nobre e altivo pa-
recer, que volvia em torno um olhar sobranceiro,

ninguém por certo reconheceria o indolente ra-
paz que dormitava pouco antes no collo de uma

mulher.
Na postura do moço não havia a menor sombra

de temor nem de surpreza, mas sómente á in-
vestigação rapida e o arrojo de uma natureza

ardente, pronta á affrontar o perigo em toda a
occasião.

Alfarrábios: o Ermitão da Glória José de Alencar




Caderno de Educação

Confira 5 cursos sugeridos pelo site:

👉 Curso de Educação Infantil
👉 Curso de Jardinagem e Paisagismo
👉 Curso de Psicoterapia
👉 Curso de Escrita e Redação
👉 Curso de Empreendedorismo




Compartilhe Compartilhe Compartilhe
Compartilhe em suas Redes Sociais!


Sobre:
O Blog Caderno de Educação visa compartilhar conteúdo e proporcionar a troca de material e experiências com os usuários. Todas as matérias publicadas são informativas ou sugestivas e não devem ser utilizadas em substituição a informação especializada de um profissional habilitado.

Postagens Sugeridas, Relacionadas e Anúncios

0 comentários:

Postar um comentário

.
Tecnologia do Blogger.

 

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

voltar