Publicidade

A Dor - Poema de Cruz e Sousa

A Dor, de Cruz e Sousa. Nas obras de João da Cruz e Sousa é certo que encontram-se muitas referências à cor branca, assim como à transparência, à translucidez, à nebulosidade e aos brilhos, e a muitas outras cores, todas sempre presentes em seus versos (Wikipedia)



A Dor, de Cruz e Sousa.


A DOR

 Torva Babel das lágrimas, dos gritos,
 Dos soluços, dos ais, dos longos brados,
 A Dor galgou os mundos ignorados,
 Os mais remotos, vagos infinitos.

 Lembrando as religiões, lembrando os ritos,
 Avassalara os povos condenados,
 Pela treva, no horror, desesperados,
 Na convulsão de Tântalos aflitos.

 Por buzinas e trompas assoprando
 As gerações vão todas proclamando
 A grande Dor aos frígidos espaços...

 E assim parecem, pelos tempos mudos,
 Raças de Prometeus titânios, rudos,
 Brutos e colossais, torcendo os braços! 

Cruz e Sousa
Broquéis


Por Blog Caderno de Educação


Compartilhe Compartilhe Compartilhe
Compartilhe em suas Redes Sociais!


Sobre:
O Blog Caderno de Educação visa compartilhar conteúdo e proporcionar a troca de material e experiências com os usuários. Todas as matérias publicadas são informativas ou sugestivas e não devem ser utilizadas em substituição a informação especializada de um profissional habilitado.

Recomendados para Você:

0 comentários:

Postar um comentário

.
Tecnologia do Blogger.

 

João 3 16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

voltar